Todo ano tem um momento em que o mundo da tecnologia escolhe o foco do momento. Um ano é linguagem tal, no outro é agilidade e nos últimos anos Design Systems tem se tornado um foco constante não só nas conversas de design, mas também de tecnologia como um todo. 
 
Seguindo o exemplo de empresas como Shopify, IBM, Airbnb e Salesforce, o mercado aprendeu que com design systems, tornam seus produtos mais facilmente escaláveis e suas equipes mais ágeis, produtivas e lucrativas. 
 
o que é um design system

Mas o que é um Design System? 

É mais fácil começarmos falando sobre o que um Design System não é. 
Um design system não é só uma biblioteca na sua ferramenta de construção de interfaces e muito menos um styleguide. 
 
Essencialmente um Design System é um “produto que serve a outros produtos” como disse Nathan Curtis.
 
Design system é uma biblioteca componetizada criada por designers e devs que ajuda a criar velocidade, manter consistência e facilitar a comunicação nas equipes de tecnologia.  
 
É um produto vivo em constante evolução que serve um ecossistema e traz resultados tangíveis que vão muito além da consistência para a sua interface. 
Exemplo de Design System

Quais são os benefícios de se ter um Design System?

Um dos principais benefícios é a qualidade que o produto começará a refletir. Além da consistência na interface, facilidade no uso, confiabilidade que positivamente impactam a experiência do seu usuário.  
 
Um design system também consegue trazer mais valor e inovação para o produto uma vez que os membros do time podem se preocupar menos com desenvolvimento e focar mais em inovação, conseguindo assim, atender o timing de negócio. 
 
Todos os benefícios acima tornam equipes mais ágeis, produtivas e eficientes na construção e manutenção de produtos. 
 
ROI de um Design System

ROI de um Design System

Muito se pergunta se a construção de um Design System vale a pena. Bem, vamos fazer uma suposição. Imaginemos que hoje no cenário da sua empresa você tenha uma squad com uma pessoa Desenvolvedora e uma pessoa UX Designer. E que essas pessoas gastam 2 horas por semana construindo componentes novos, refazendo coisas e reinventando a roda, quanto dinheiro sua empresa gasta por não ter um Design System? 
 
Levando em consideração o salário médio de uma Pessoa UX na cidade de São Paulo (R$ 5.977, que equivale a R$ 37 por hora) e o salário médio de uma Pessoa Desenvolvedora na mesma cidade (cerca de R$ 7.419, que equivale a R$ 46 por hora), duas horas por semana equivale a R$ 166 por semana. 
 

É um valor OK, mas quando escalamos esse valor vemos o real problema. R$ 166 em uma semana, R$ 664 em um mês, R$ 7.968 em um ano. 

R$ 7.968 em um ano. 

E esse valor é levando em conta um time de produto com uma pessoa designer e uma pessoa desenvolvedora. Se você tem 5 times com a mesma configuração, basta multiplicar o valor por 5 e ver o rombo no seu caixa. 

É um valor considerável, certo? 

 

Escolhas técnicas 

As escolhas técnicas da tecnologia para a componetização do seu Design System dependerão muito mais das necessidades do seu time do que de qualquer outro fator. Uma boa escolha é priorizar com base nas tecnologias que são mais usadas na sua empresa, que mais demandam atualização de legado e que tem baixa curva de aprendizagem. 
 

E se eu não tiver um Design System? 

Uma das principais entregas do design system é a consistência que ele traz para os produtos que se beneficiam dele. Então quando escolhemos não priorizar a consistência, corremos muito risco de ter componentes mal gerenciados, retrabalhos e inconsistências. 
 
Inconsistências inevitavelmente trazem baixa escalabilidade. Com isso, seu produto pode demorar mais para atender o time to market e as necessidades mais imediatas do seu público. E quem quer ficar pra trás, não é? 
 
O futuro da escalabilidade e lucro dos seus produtos depende de design systems. Vamos juntos para o futuro?