Fala pessoal, blz?

Como vocês viram no primeiro post dessa série, entrei em um projeto SharePoint (SP) e comecei a estudar essa plataforma nos últimos dias.

Logo no começo dos estudos, encontrei um “mar” de novos termos. Tentando entender um pouco sobre cada um deles, acabei descobrindo que uma parte desses termos veio com o produto, mas uma grande parte deles foram introduzidos pelo mercado.

A partir desse post vou escrever o que venho entendendo sobre cada um desses termos. Fiquem a vontade para acrescentar informações ou corrigir algo.

Nessa publicação falarei sobre Farm.

PS: O objetivo desse post não é ser um tutorial de como criar uma farm para “subir” um SP.

 

Farm

O conceito de farm não é exclusivo do SP, inclusive, quando estamos falando de SP é comum usar a expressão SharePoint Farm. Segundo o Wikipedia, um farm é:

[…] a collection of computer servers – usually maintained by an organization to supply server functionality far beyond the capability of a single machine. Server farms often consist of thousands of computers which require a large amount of power to run and to keep cool. At the optimum performance level, a server farm has enormous costs (both financial and environmental) associated with it.[…]

https://en.wikipedia.org/wiki/Server_farm

Entendendo o que é um farm, vejamos o que é um SharePoint Farm.

 

SharePoint Farm

No SP, um SharePoint farm pode ser um único ou vários servidores trabalhando para prover todos os serviços necessários para o SP funcionar.

Mas, como um único servidor pode ser considerado um farm?

Em uma única máquina, é possível subir todos os “servidores” que proveem os serviços que o SP precisa, como por exemplo o IIS, o SQL Server, etc. E por isso também é um farm.

Um SharePoint farm instalado em um único servidor é chamado de Single Server ou Single Farm.

Uma instalação usando um único servidor é chamada de Simple Installation Mode e foi como fiz minha primeira instalação para fins de testes.

Acredito que o Simple Installation Mode seja mais comum para ambientes de desenvolvimento. Para uso em produção, de pequeno à médio porte, é bem melhor/seguro que cada serviço esteja rodando em um servidor dedicado. Entretanto, para usos que exigem uma infra “mais parruda”, também é possível que várias SharePoint farms estejam provendo a infraestrutura para o SP rodar.

Ao finalizar a instalação do SP, usando qualquer uma das possíveis formas, teremos uma arquitetura de infraestrutura. Essa arquitetura é chamada de Topologia ou Topology.

 

Era isso que queria falar, até o próximo post!

 

Referências

Criar farm do SharePoint no Microsoft Azure