Nos últimos tempos tenho me dedicado a falar sobre o Scrum Master. Já falei sobre suas Competências e algumas Disfunções do papel. Mas como se contrata um Scrum Master? Avaliar skills técnicos é o suficiente?

Pra mim, a resposta é não! Certamente é necessário avaliar hard skills – e considero hard skills o que apresentei como as 8 Competências do Scrum Master. Mas existem alguns soft skills que considero muito importantes em um excelente Scrum Master, que dão a sutileza necessária para uma atuação efetiva neste papel.

Uma Pessoa de Pessoas

Não tem jeito! Pessoas e interações, mais que processos e ferramentas! O Scrum Master precisa ser capaz de fazer o time sair da caixinha das ferramentas e processos e, principalmente, quebrar o paradigma de que “entregar” é “codar loucamente”. Como se consegue isso? Interagindo, ouvindo e estimulando a interação entre as pessoas!

O Scrum Master precisa gostar de pessoas e, principalmente, saber ouví-las. E isso é bastante interessante, por que dizem por aí que desenvolvedores não gostam de interação. Balela! Somos todos pessoas! E existe uma carência muito grande de bons ouvintes.

E, como bom ouvinte, não estou falando sobre aquela pessoa que deixa a outra falando, liga o “modo avião” e começa a pensar nos seus problemas, nas contas a pagar, em tudo, menos na pessoa à sua frente. Muito menos do ouvinte que completa a fala do outro, tentando adivinhar o que vai ser dito. No começo isso pode ser encarado como uma escuta ativa, mas, com o tempo, as pessoas se irritam com essa atitude. Lembre-se das regras de protagonismo: existe hora para falar e hora para ouvir!

O Scum Master deve ouvir e despertar suas competências de coach e mentor nessas horas, colocando-se disponível para ajudar, fazendo perguntas poderosas que levem o ouvinte a pensar em como resolver o desafio ou, sob permissão do mesmo, sugerindo como ele pode agir na situação.

Também há a questão da interação. O Scrum Master precisa interagir com pessoas de todos os níveis dentro da empresa e precisa promover essa mesma interação nos membros do time. Isso para que as pessoas tenham confiança umas nas outras, favorecendo momentos como feedbacks e retrospectivas.

Pessoalmente eu mesmo não sou a pessoa mais comunicativa que conheço: sou bastante tímido, até! Mas, quando se assume o papel de Scrum Master, você tem que estimular as pessoas para que elas troquem ideias. Boas perguntas para a sua seleção são:

Como você, enquanto Scrum Master, proporciona um ambiente de interação entre as pessoas? Como você lida com um membro do time que passa por problemas pessoais?

A resposta torna-se mais satisfatória à medida em que se afasta das ferramentas e processos muito definidos.

Uma Pessoa Apaixonada

Uma das atribuições de um Scrum Master é liderar pessoas através do engajamento para alcançar um objetivo. Dificilmente um Scrum Master conseguirá atingir este objetivo se não for apaixonado pelo Mindset Ágil e se não acreditar que ele pode ajudar o Time Scrum a entregar software de valor e com qualidade.

Certa vez perguntei pra um Scrum Master como era o dia a dia do time e ele me respondeu com uma ladainha de lamentos e reclamações tão grande que me fez, ao final da conversa, desejar tomar um banho de sal grosso! Eu sei que, muitas vezes, enfrentamos muita resistência do time e até mesmo da empresa. Mas… o que estamos fazendo pra mudar isso? Scrum Master é a pessoa das soluções, não dos problemas!

O Scrum Master tem que ser o cara apaixonado por encontrar soluções para os desafios do Time! Se ele entra numa vibe negativa, ele leva o time para o buraco junto com ele. E a Transformação Ágil da empresa vai junto! Na sua seleção, você pode simular aqueles ambientes em que, para cada solução você encontra dois problemas novos. Se o seu candidato demonstra desânimo neste tipo de situação, é melhor agradecer a participação e passar para o próximo!

Uma vez ouvi que “como você faz qualquer coisa é como você faz tudo”. Também é interessante levar a conversa para o lado pessoal:

Quais são os seus hobbies? Foi muito desafiador praticar esse hobbie? Como você lidou com esses desafios?

Essa é uma ótima forma de identificar se a pessoa tem paixão e brilho nos olhos a ponto de lidar com os mais variados desafios. Se, na vida pessoal, ela consegue se motivar pelos desafios, certamente fará o mesmo na empresa.

Uma Pessoa que Goste de Aprender

Vejo muitos Scrum Masters que fazem o treinamento e acham que sabem tudo sobre Scrum. Principalmente, são absorvidos pela rotina do dia a dia e não procuram reciclar o conhecimento, entrando no estado de inércia da “agilidade pão com ovo”. Se nós temos a obrigação de manter um processo de melhoria contínua, por que isso não envolve o nosso aprendizado contínuo?

Obviamente o processo de aprendizado de cada um é diferente. Eu, por exemplo, gosto de aprender com as experiências das outras pessoas. Tanto que, em várias empresas em que trabalhei, eu me sentia extremamente sozinho por não ter com quem trocar figurinhas. Pra mim, essa troca funciona até mais do que participar de um treinamento.

No seu processo seletivo, você precisa entender como esse processo funciona para o candidato, lembrando que não existe certo ou errado. Errado mesmo, só quem não gosta de aprender ou acha que sabe tudo!

Você já conhece bastante Scrum! Já é Mestre nisso! E agora? Existe mais algo a aprender? Quais são as suas fontes de informação?

Uma Pessoa que Goste de Ensinar

Eu comecei a minha história profissional há 20 anos ensinando! Eu trabalhei na faculdade por dois anos dando treinamentos técnicos para alunos, professores e outros abertos para a comunidade. Hoje acredito que não existe nada mais difícil e prazeroso ao mesmo tempo. Difícil por que você precisa estimular diferentes perfis de aprendizado; e prazeroso por que é simplesmente fantástico poder trazer uma nova perspectiva para alguém!

Por isso, quando eu aprendo alguma coisa nova e que acho muito interessante, o meu primeiro pensamento é: de que forma eu posso levar esse conhecimento para ajudar outras pessoas? Costumo dizer que o “ensinar por ensinar” não é pra mim; mas o ensinar para resolver problemas é totalmente a minha praia!

Já fiz brownbags aqui na Lambda3 baseados em treinamentos que participei; ou baseados em um vídeo que assisti no youtube; já escrevi muitos textos baseados no que aprendi com alguma experiência.

Um bom Scrum Master precisa curtir muito esse lance de ensinar para resolver desafios! E não falo exclusivamente de fechar as pessoas em uma sala para um treinamento. Essa não é a única forma de ensinar! Aliás, prefiro usar o termo “compartilhar conhecimento”, que torna a ideia de ensinar bem mais ampla.

Quando você aprende algo muito interessante, qual o primeiro pensamento que te vem na mente?

Colocar novas ideias em prática é muito bom; compartilhá-las é melhor ainda (seja lá como for).

Uma Pessoa Humilde

Esse soft skill em um Scrum Master já daria um artigo inteiro (se você quiser ler mais sobre isso, deixe-me saber através dos comentários).

Muito se fala sobre a questão do protagonismo dentro do time. Um excelente Scrum Master sabe o momento certo em que ele precisa ser o protagonista e o momento em que o Time Scrum deve protagonizar uma situação.

Tive a oportunidade de ver Scrum Masters “de palco”, completamente donos da entrega (como se o Time estivesse entregando por causa da sua intervenção Divina). Já vi Scrum Masters dominarem as cerimônias, sem dar voz ao Time. É como se eles soubessem exatamente o que o Time precisa!

O papel de Scrum Master não é pra quem quer se sobressair ao Time, pra quem tem o Ego enorme ou para quem se acha o Dono da Verdade (ou do Mundo). Um excelente Scrum Master empodera as pessoas para que o Time Scrum brilhe! E essa sutileza que me fez apaixonar pelo Scrum. Pessoalmente eu não convivo muito bem com estrelismos individualistas…

Durante algum tempo percebi que os Times esperavam o meu posicionamento para opinar. Obviamente, estavam acostumados a obedecer às ordens do chefe. Num primeiro momento, eu me privei de dar qualquer opinião, o que foi ruim para o Time e para mim. Hoje, tenho um pacto com meus Times: eu posso dar minha opinião, depois que todo o time opinou e discutiu as possibilidades.

Se, depois disso, formar-se uma nova discussão, ótimo! Elas serão baseadas nos seus próprios posicionamentos, tornando a discussão rica e a solução assertiva.

E o mérito é do Time! Não seu, Mestre!

Quem é o responsável pela entrega do Time? Qual a participação do Scrum Master na entrega?

Uma Pessoa Corajosa

Scrum Master é, definitivamente, um papel para os fortes! Essa pessoa precisa lidar com resistências e impedimentos, sem criar um ambiente pesado, promover a colaboração e a confiança!

Como é que eu vou chegar no meu chefe e dizer que o time precisa de empoderamento? Como é que eu vou chegar no diretor que dá carteirada em toda Sprint e dizer que ele não pode fazer isso? Wow!

Pelo bem do processo e das pessoas, o Scrum Master precisa ter conversas difíceis. Se elas não estão acontecendo, algo pode estar muito errado.

Lógico que você pode ter receio de falar com CIO. Mas vai lá assim, com medo mesmo! 🙂

No dia a dia do Scrum Master surgem inúmeras situações onde se precisa resolver algo através de uma atitude corajosa! Afinal, suas retrospectivas são rasas ou você sabe quando deve abrir o vespeiro, provocando o time para ter as tais conversas difíceis? Medo, todos temos. O que nos diferencia é a forma como reagimos a ele.

Você já teve algum medo e conseguiu superá-lo? Como foi?

Uma Pessoa Ativa

Certa vez eu participei de uma cerimônia de planning tão chata que estava quase pedindo pra ir comprar pipoca! Parecia uma palestra! E fui eu quem teve que dar piti: “então, vamos escrever isso em post its e colocar na parede?”.

Eu estava do lado do Scrum Master e precisei guiá-lo em vários momentos: o time estava disperso e precisávamos da atenção de todos; depois, acabaram os post its e a pessoa olhava como se seu sorvete tivesse caído no chão.

Gente! Ninguém consegue backlog sentado na cadeira! Ninguém elimina todos os impedimentos por email! O Scrum Master tira as pessoas da zona de conforto. Mas, antes disso, ele mesmo precisa sair da sua própria zona confortável! É preciso fazer as pessoas pensarem, movimentarem-se. Precisa ensinar as pessoas a levantarem de suas cadeiras e desenhar, usar post it, interagir!

E, pra isso, Scrum Master precisa ser um exemplo!

Descreva como um dia normal no seu trabalho atual.

Enfim, Uma Pessoa Fascinante

Existem outras características pessoais importantes em um Scrum Master. Muitas delas eu trouxe das minhas experiências anteriores, outras eu aprendi a exercitar sendo Scrum Master. E é nisso que resite a coisa mais fantástica neste papel: quando você desenvolve skills tão interessantes que leva pra sua vida pessoal.

Agora, que tal usar os comentários para aprendermos juntos mais algumas dessas características? 🙂