Chegamos ao final da nossa série Mulheres da Ciência, onde falamos um pouquinho da estória de vida de grandes mulheres que são fonte de inspiração para muitas de nós.

Hoje falaremos um pouco sobre Duília de Mello.

Duília Fernandes de Mello, nascida em 27 de novembro de 1963 na cidade de Jundiaí em São Paulo, é astrônoma e astrofísica brasileira reconhecida internacionalmente por suas ações e descobertas na ciência.

Começou a se interessar por Astronomia ainda quando criança e aos 14 anos sua mãe a levou ao observatório do Valongo, no Rio de Janeiro, cidade em que cresceu. Seus professores, por falta de conhecimento, tentaram fazer com que ela mudasse de profissão alegando que “Astronomia não dava dinheiro” e que” ela não acharia um emprego nessa área” e ainda “que morreria de fome”.

Devido ao entusiasmo e curiosidade pelo universo, Duília seguiu seu coração e decidiu cursar Astronomia na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e logo após, iniciou  o mestrado no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) em São José dos Campos sobre Radioastronomia e cursou o mestrado em Astronomia pela Universidade do Alabama. Ela não parou por aí, concluiu o doutorado na USP (Universidade de São Paulo), pós-doutorado no Observatório Interamericano de Cerro Tololo no Chile e no Observatório Nacional no Rio de Janeiro.

Entre suas descobertas, podemos mencionar a Supernova 1997D que é um evento astronômico ocorrido durante os estágios finais da evolução de algumas estrelas caracterizado por uma explosão muito brilhante. Esse fato ocorreu  no Chile, no dia 14 de Janeiro de 1997, quando ela observava o universo e viu algo estranho na tela do telescópio e resolveu analisar melhor o objeto que chamou sua atenção. Hoje sabemos que a “estrela estranha” que ela viu, é uma estrela que explodiu (supernova) a cerca de 56 milhões de anos.

Atualmente é professora do departamento de física na Universidade Católica de Washington e desenvolve pesquisas na NASA, no Goddard Space Flight Center. Também trabalha com a divulgação cientifica e já lançou dois livros: “Vivendo com as estrelas” e “As aventuras de Pedro, uma Pedra Espacial”.

Outro projeto da cientista é a Associação Mulher das Estrelas, uma ONG que busca promover a ciência e a importância das carreiras em Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (em inglês: STEM – Science, Technology, Engineering and Mathematics) na sociedade.

Casada com o também astrônomo Tommy Wiklind, fala português, inglês, espanhol e um pouco de sueco. Duília de Mello recebeu em 2013 o Prêmio Diáspora Brazil pelo Ministério das Relações Exteriores pelos seus trabalhos em ciência e tecnologia e que contribuem para uma imagem positiva do país no exterior. Em 2014 foi considerada uma das 100 pessoas mais influentes do país pela revista Época, na  categoria “Construtores”.